Qual é a sua seleção do turfe?

Ontem foi o dia do nosso técnico Tite convocar os 23 jogadores da seleção brasileira que vão nos representar na Copa do Mundo, na Rússia. Como sempre, temos um debate imenso sobre os atletas que foram convocados e os que ficaram de fora. Afinal, todos nós somos técnicos.

Chegou agora a vez de montar a sua seleção dos melhores do turfe.  A proposta é reunir os cinco melhores cavalos de todos os tempos na opinião dos turfistas e do público que acompanha as corridas. Para participar, coloque nos comentários do texto a sua seleção.

Segue a minha sugestão de convocação da seleção do turfe.

Vou começar com um vencedor do GP Brasil de 1960: Farwell, dito por muitos conhecedores mais antigos do turfe como o melhor cavalo de todos os tempos. Essa minha primeira escolha é até uma homenagem a Dagoberto Corletto Midosi, um turfista e grande advogado com mais de 100 anos de idade e que sempre me deu excelentes referências sobre esse belo animal.

Segundo selecionado é o craque Itajara, animal de propriedade do Haras São José e Expedictus. Ele venceu o Grande Prêmio Estado do Rio de Janeiro, Grande Prêmio Francisco Eduardo de Paula Machado, Grande Prêmio Cruzeiro do Sul e o Grande Prêmio Jockey Club Brasileiro, todas essas provas de Grupo I.

Vamos agora com Much Better que venceu as principais provas do turfe sul-americano. Entre as suas conquistas, o GP Brasil (na Gávea), o GP São Paulo (em Cidade Jardim), o GP Carlos Pellegrini (em San Isidro) e o Clássico Latino–Americano (em La Plata). Um cavalo excepcional de criação do Haras J.B. Barros e propriedade do Stud TNT. Vale ressaltar que nas suas principais conquistas, Much Better contou com a direção de J.Ricardo, recordista mundial de vitórias.

Nosso quarto craque é Bal a bali,  um fenômeno que venceu dos 1000 aos 2400 metros. Ele se tornou recordista da milha e dos 2400 metros no Hipódromo da Gávea. Tríplice coroado e vencedor do GP Brasil,  com certeza foi um dos melhores campeões dos últimos tempos. Após essas façanhas, foi exportado aos EUA e mesmo passando por uma grave doença chamada laminite, voltou às pistas na terra do tio Sam, vencendo provas graduadas.

Pra fechar nossa seleção, não posso deixar de fora o tríplice coroado Plenty of Kicks. De criação e propriedade do Stud São Francisco da Serra, ele teve oito apresentações, sendo sete vitórias. Perdeu apenas uma na pista de areia. Na grama, terminou sua campanha invicto, conquistando cinco provas de Grupo I. Grande Prêmio Jockey Club Brasileiro, Grande Prêmio da República , Grande Prêmio Estado do Rio de Janeiro , Grande Prêmio Francisco Eduardo de Paula Machado e o Grande Prêmio Cruzeiro do Sul. Além de uma prova de turma e o Clássico Júlio Cápua.

Monte a sua seleção !!!!

Texto: Diego Guedes

Fotos: Internet

 

Compartilhe com seus amigos

3 comentários “Qual é a sua seleção do turfe?

  1. Tignon Lafre com certeza o melhor que eu vi. Pour henry duelava com ele, na areia era imbativel. Much Better fenomeno. Cacique Negro inesquecivel e Dono da Raia para fechar.

  2. Vou deixar aqui meus favoritos
    VILLACH KING – animal no campeão do GP Brasil, em anos alternados, algo incomum na história do turfe.

    ITAJARA – FENÔMENO

    SANDPIT – Cavalo que participou dos principais páreos no Brasil com destaque e fez história nos hipódromos americanos.

    GLORIA DE CAMPEÃO – Cavalo espetacular e que escreveu o nome do Brasil na milionária DUBAI WORLD CUP

    MUCH BETTER – Outro fenômeno. Como disse o Diego Guedes ganhou todas as provas importantes na América do Sul e ainda registrou seu nome com destaque no tradicional ARCO DO TRIUNFO.
    Foi difícil a escolha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *