Craque também falha

Em qualquer esporte, sempre existem os grandes nomes, aqueles atletas diferenciados, com qualidades que parecem insuperáveis. São estrelas, campeões. Em outras palavras: são os craques. No turfe, os nomes se apresentam nas pistas dos hipódromos do mundo inteiro. São os cavalos que mostram o desempenho na hora da corrida. E para obter os melhores resultados, o trabalho de equipe é fundamental. Desde o criador, o cavalariço, o treinador, o jóquei. Todos envolvidos em um negócio com o objetivo de dar as condições adequadas para o animal se tornar um craque. E ganhar, vencer, conquistar títulos e mais títulos.

Porém, nem sempre todo o esforço e talento é sinônimo de um bom resultado. Quando um ícone do esporte que está sempre na linha da frente não consegue chegar à vitória, frustra expectativas da equipe, dos apostadores, dos torcedores, dos fãs. Faz parte. Afinal, os craques não são infalíveis. Como nós, seres humanos. Às vezes, o dia não é dos melhores. Algo que a gente nem sabe o motivo. Simplesmente não é o momento de brilhar.

E foi o que aconteceu no Elitloppet 2018, no Hipódromo de Solvalla, em Estocolmo, na Suécia, em 27 de maio de 2018, na última quarta-feira. O craque dos craques Bold Eagle deixou a desejar e foi desqualificado, coisa rara em sua campanha tão vitoriosa.

É, vida de craque realmente não é nada fácil, já que o compromisso é chegar sempre na frente. Segundo lugar para eles é o primeiro dos últimos. Porém, uma batalha perdida é natural. O que não pode é perder a guerra. Guerra de abrilhantar a vida dos apaixonados pelo turfe. Tenho total certeza que esse craque dará a volta por cima e retornará às pistas, mostrando aquele show que estamos acostumados.

Texto: Diego Guedes

Fotos: Internet

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *