Saiba tudo sobre o GP São Paulo

O mês de maio recebe uma das provas mais importantes do turfe nacional. O hipódromo de Cidade Jardim, na capital paulista, é a sede do GP São Paulo, que tem mais de 90 anos de história e faz parte do seleto grupo de corridas que os treinadores e jóqueis brasileiros sonham em conquistar.

Essa competição remonta à história das corridas de cavalo em São Paulo e acompanha a sua evolução, o que inclui a troca do palco principal. Ela também é uma oportunidade única para os fãs do turfe, já que o páreo atrai milhares de pessoas e movimenta uma grande quantidade de apostas.

Quer saber mais sobre a história e como funciona esse GP, que terá a próxima edição no dia 5 de maio de 2019? Continue a leitura!

Qual é a história do GP São Paulo?

O primeiro GP São Paulo foi realizado em 1923, no antigo hipódromo na Mooca. Esse local foi construído em 1876 e abrigou as provas mais importantes do país até a criação do Cidade Jardim, em janeiro de 1941. Posteriormente, o lugar foi demolido e deu lugar a ruas, prédios e outras construções.

Vale destacar que o Grande Prêmio Brasil, que é a principal competição do turfe nacional, só foi criado em 1933, o que demonstra a tradição dessa prova. O primeiro vencedor foi o cavalo argentino Mehemet Ali, que cruzou a linha de chegada na frente após 3.200 metros em pista de areia.

Nas décadas seguintes, o GP São Paulo passou por mudanças na sua distância: primeiro para 3.000 metros, entre 1948 e 1957, e depois para os 2.400 metros, que é o circuito atual. Também, houve alterações no mês da disputa, já que ele iniciou em agosto, passou para o início do ano e depois se consolidou em maio.

A edição de 2019 está marcada para o dia 5 de maio. O fim de semana do evento começa no sábado com 10 páreos, com destaque para o GP OSAF, do Grupo I (elite do turfe nacional). Para o domingo, estão marcadas sete provas além do GP São Paulo.

Como é disputada a prova?

Desde 1948, o GP São Paulo é disputado em maio no hipódromo de Cidade Jardim. Nos últimos anos, virou tradição que ele seja marcado para o primeiro domingo do mês, na pista de grama oval com 2.400 metros de distância. Em 2019, está marcado para o dia 5.

Em duas oportunidades, nos anos de 1930 e 1940, essa competição não foi realizada. Em 1931, houve duas disputas, o que compensou a perda do ano anterior. Desde então, o GP acontece anualmente no mesmo local, enquanto a Mooca conserva poucos detalhes da antiga sede, como a Rua Hipódromo.

Qual a importância desse páreo para o turfe nacional?

O GP São Paulo, em termos de relevância no calendário, só perde para o Grande Prêmio Brasil, que é realizado no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. A diferença é que a competição paulista é mais antiga, com quase 100 anos de existência — comemora essa data em 2024.

Em geral, o evento recebe milhares de pessoas no hipódromo, o que inclui fãs do esporte e novatos interessados em conhecer. Em 2018, por exemplo, a organização montou uma estrutura gratuita com espaço para as crianças, passeios a cavalo e food trucks.

A premiação geral da edição foi de R$170 mil, o que fica abaixo das bolsas milionárias do resto do mundo, mas é cobiçada pelos donos nacionais. O volume de apostas também atrai muita gente, com destaque para o crescimento das opções pela internet, o que facilitou o acesso aos páreos.

A única honraria que compete com o GP São Paulo localmente é a Tríplice Coroa Paulista, que é concedida aos vencedores de três provas em sequência: GP Ipiranga, GP Jockey Club de São Paulo e Derby Paulista. Contudo, ganhar esse páreo é a certeza de ter um lugar guardado na história do esporte.

Quem são os campeões dessa competição?

Em 2018, o vencedor da prova foi Euquemando, montado por André Luiz Silva. Ele completou a pista de grama em pouco mais de 2m25s, depois de sair da 12ª posição e assumir a ponta nos metros finais. Essa foi a sexta vitória na carreira do cavalo de propriedade do Haras Chello.

Como a prova é internacional, alguns estrangeiros já saíram vitoriosos. O último deles foi Figuron, do Chile, em 1973. Uma curiosidade é que, logo após a corrida, ele foi vendido pelo seu dono para os irmãos João Adhemar e Nelson de Almeida Prado, que ficaram entusiasmados com a sua exibição.

Lenda das pistas e recordista mundial do turfe, Jorge Ricardo tem duas vitórias no Cidade Jardim: 1994 (Much Better) e 2005 (Macbeth). Outro destaque é o tríplice coroado Quari Bravo, campeão de 1998, que também venceu o Grande Prêmio Brasil na sequência, ou seja, as duas provas mais importantes do país.

Conheça os últimos campeões do GP São Paulo:

  • 2018: Euquemando (A. L. Silva);
  • 2017: Céu de Brigadeiro (M. S. Machado);
  • 2016: Universal Law (V. Borges);
  • 2015: Quinhão (A. Gulart);
  • 2014: Jaspion Silent (A. Domingos);
  • 2013: Gober (N. A. Santos);
  • 2012: Invictus (J. Aparecido);
  • 2011: Timeo (M. Mazini).

Como apostar no GP São Paulo?

Todos os páreos disputados no hipódromo de Cidade Jardim estão disponíveis para apostas, o que não é diferente com o GP São Paulo. Para os moradores da capital, essa é uma boa oportunidade para visitar o local e aproveitar a sua infraestrutura, além da possibilidade de assistir às corridas e escolher os cavalos.

Para os moradores de outras cidades ou quem não pode comparecer ao hipódromo, a dica é apostar pela internet, pelo telefone ou em algum das centenas de postos de venda físicos em todo o país. Por lá, é possível consultar o programa com retrospecto e analisar as opções dos páreos com dias de antecedência.

As apostas podem ser simples, como o Vencedor e o Placê, ou exóticas, como a Pick 7 e a Quinexata. No Vencedor, basta acertar o cavalo que ganhar o páreo, enquanto no Placê é necessário que ele chegue entre os dois primeiros. As exóticas são combinadas, pois deve-se acertar o resultado de mais de uma corrida.

Para quem tem pouco conhecimento no turfe ou está em dúvida sobre a melhor aposta, a Barbadinha é a modalidade ideal. Em poucos segundos, o sistema calcula os cavalos mais apostados e faz o jogo para o cliente. É possível escolher qualquer uma das outras modalidades — desde o Vencedor até a Quinexata.

O GP São Paulo é uma das provas mais importantes do calendário brasileiro e merece destaque para os fãs de turfe. Os melhores cavalos de todo o país se reúnem para decidir quem fica com o título e a premiação, mas os apostadores também podem ter sucesso se escolherem o competidor correto!

E aí, o que achou desse conteúdo? Para tirar todas as suas dúvidas e saber como apostar no turfe, entre no site da PMU Brasil! A partir de R$2 você pode participar e garantir uma renda extra!



Compartilhe com seus amigos