Rotina de jóquei: saiba como é o dia a dia desse profissional

Rotina de jóquei: saiba como é o dia a dia desse profissional

Pouca gente saberia explicar a rotina do jóquei, isto é, como é o dia a dia do profissional das corridas de cavalos. Seria mais provável acreditar que ele sobe no cavalo na hora da prova, corre e pronto.

A realidade, no entanto, é muito diferente. O treinamento, a dedicação e o esforço necessários são intensos e colocam o próprio jóquei à prova todos os dias. Quer saber como é o dia a dia dessa profissão? Continue a leitura do post e veja como é!

Treinamento do jóquei

O treinamento de um jóquei começa no estágio de aprendiz, que pode ter início a partir dos 16 anos de idade. Como muitos aprendizes vêm do interior do país, nessa fase eles moram na escola de aprendizes de jóquei, na própria vila hípica.

Durante dois anos, o aprendiz percorre quatro categorias nas quais precisa apresentar um certo número de vitórias nas corridas de que participar. A partir da quarta, passa a ser um jóquei profissional.

Ao longo do tempo de treinamento, residem na vila hípica e, embora alguns estudem, precisam retornar para dormir nas instalações próprias da escola de aprendizes, onde cada um tem o seu quarto. Afinal, os trabalhos começarão ainda de madrugada.

Assim, antes mesmo de o sol nascer, o jóquei em treinamento já encontra diversos profissionais, como cavalariços, galopadores, jóqueis profissionais, treinadores, entre outros, cada um em sua função. Aprender a montar tecnicamente, auxiliar o treinamento dos animais sob orientação do treinador e muito trabalho braçal fazem parte dessa rotina.

Participação nos cuidados e treinamento dos cavalos

O contato do jóquei com o cavalo deve ser constante, de modo a criar uma intimidade que facilite a interação nas pistas e fora delas. Para isso, no entanto, é preciso gostar de cavalos, a fim de se dar bem com eles.

Além disso, o jóquei não pode ter medo. Na verdade, deve aprender a se aproximar do animal e conversar com o cavalo, como quem deseja construir uma relação de amizade.

Cavalos são animais sensíveis e precisam perceber segurança no piloto. Esses aspectos são especialmente construídos ao longo do tempo pelos cavalariços. Esses, por sua vez, são os profissionais que procedem a todo tipo de cuidado com o cavalo, desde acordá-lo até alimentá-lo.

Enquanto o treinador define o que deve ser feito com o cavalo, o jóquei executa a tarefa montado. É semelhante ao técnico de futebol que orienta o jogador em campo.

Dessa forma, o tipo de manobra que deve ser realizada ou que estratégia utilizar na pista, por exemplo, são ações realizadas pelo jóquei, sob a orientação do treinador. E assim seguem, treinando desde as primeiras horas da manhã para que tudo dê certo nos dias de corrida.

Exigências físicas da profissão

Um jóquei precisa ter uma estatura em torno de 1,60 metros de altura, mas não pode pesar muito. Na verdade, o grande desafio do profissional é manter um bom condicionamento físico e o peso entre 50 e 54 quilos.

Assim, para o jóquei, muitas vezes parte de sua rotina envolve, além do condicionamento físico, os trabalhos para perda de peso. Não são raros os momentos de caminhadas e corridas para manter a massa corporal dentro dos limites exigidos pelas provas nos dias de corrida.

Existe ainda uma saída de última hora para garantir o peso dentro do previsto para a prova: a sauna da própria vila hípica. Na verdade, às vezes são necessárias algumas horas para perder o excedente de peso.

Condições de trabalho

Em razão da natureza da atividade, o jóquei passa a maior parte de seu dia ao ar livre, junto aos animais ou no estábulo onde estão as baias. Mas, como visto, a rotina precisa começar cedo.

Todos os dias, o jóquei arrisca sua condição de saúde com a possibilidade de uma queda. Afinal, os cavalos são capazes de alcançar velocidades da ordem de 60 km/h apenas dois segundos após a largada.

Por essa razão, a corrida de cavalo é o único esporte em que uma ambulância acompanha o deslocamento dos competidores. Assim, tombos, escoriações e até fraturas fazem parte dos riscos da atividade.

No entanto, como dizem alguns profissionais: “o cavalo chama a gente de volta”. E, como um jóquei não resiste a esse chamado, vê apenas a hora de retirar o gesso e voltar para as pistas.

Ganhos e benefícios

Segundo o Código Brasileiro de Ocupação (CBO), a classificação do jóquei é CBO 377130, também chamado de atleta do hipismo e jóquei profissional. De modo geral, no entanto, o jóquei não tem um salário fixo, mas recebe em função dos serviços prestados, com exceção de alguns poucos contratados.

Dessa forma, o jóquei quase sempre está na dependência do treinador e, principalmente, do proprietário do animal, que decidirá quem vai montá-lo na competição.

De todo modo, precisa participar de corridas, a fim de receber uma pequena ajuda de custo por prova em que montar. E, desse modo, quanto mais provas montar, mais receberá.

Diferente, porém, é a remuneração quando vence uma corrida. Nesse caso, o pagamento do jóquei corresponde a 10% do lucro das apostas daquela prova.

Perspectivas da carreira

O objetivo do jóquei desde o seu tempo de aprendiz é vencer as corridas de que participa. Dessa forma, é importante conseguir participar do maior número de provas, para que aumentem suas chances de vitória, assim como de uma remuneração melhor.

Profissionais que já se destacam têm mais facilidade para conseguir boas oportunidades. Alguns são até mesmo contratados por alguns proprietários para montar seus cavalos.

Jóqueis bem-sucedidos aqui e no exterior, na verdade, trabalham com agenciadores profissionais do turfe. Iniciativas dessa natureza podem manter esses campeões por mais tempo no topo.

O turfe já teve seus dias de glória no Brasil, seguidos de uma decadência. Mais recentemente, no entanto, o interesse foi retomado e vem crescendo, assim como novos hipódromos estão sendo inaugurados.

Destaca-se, sobretudo, a possibilidade de apostar em corridas de cavalos pela internet, por meio de sites especializados. Por esse meio, é possível mesmo apostar em corridas ocorrentes em outros países.

A rotina do jóquei, como se viu, é intensa e requer dedicação permanente e coragem para enfrentar riscos constantemente. A cada dia, o profissional deve buscar suas oportunidades e, ao mesmo tempo, manter-se à altura para quando elas surgirem.

Gostou deste post? Então, continue conosco em nossas redes sociais como o Facebook, Instagram e YouTube!



Compartilhe com seus amigos