Entenda o que é páreo e quais são os seus principais tipos

o que é páreo

Todo esporte tem o seu próprio vocabulário. Nos mais tradicionais, os termos acabam por ser mais conhecidos, mas, em algumas modalidades, como o turfe, as dúvidas ainda são grandes! Entender o significado de reunião, páreo e programa, por exemplo, é essencial se você estiver começando a se interessar pelas corridas de cavalo.

Apesar de ser considerado um esporte de elite, as corridas no Jockey Club Brasileiro, na zona sul do Rio de Janeiro, podem ser assistidas de graça, e as apostas podem ser feitas a partir de R$2.

Neste post, vamos explicar o que é páreo dentro das competições de turfe, quais são os principais tipos e algumas de suas características, como a distância percorrida. Acompanhe!

O que é um páreo?

turfe, como conhecemos hoje, começou a ser praticado no século XVII na Inglaterra e chegou ao Brasil no século XIX. Nele, um páreo é equivalente a uma corrida, do momento da abertura dos boxes até o cruzamento da linha de chegada. Um conjunto de páreos é chamado de reunião.

Geralmente, as reuniões apresentam de oito a 12 corridas ao longo de um mesmo dia e em um mesmo hipódromo, com intervalos de cerca de 30 minutos entre elas. Esse período é importante para que ocorra a confirmação dos resultados e para que os apostadores possam conferir seus bilhetes e realizar novas apostas.

Quando você decide fazer uma aposta, seja online ou em lojas credenciadas, é preciso, primeiro, escolher uma reunião e, depois, um páreo — ambos identificados por números. As reuniões também podem ser escolhidas pelo nome do hipódromo.

Os páreos são numerados pela ordem em que acontecerá a corrida, mas também recebem nomes, geralmente em homenagem a personalidades, momentos ou animais que marcaram a história do turfe.

Alguns exemplos são o Grande Prêmio Henrique Possolo e o Conde de Herzberg. Henrique Possolo foi um dos fundadores do Jockey Club Brasileiro e o 14º presidente da entidade. Conde Herzberg também participou da fundação e foi um dos grandes beneméritos do clube.

Em uma reunião com dez páreos, por exemplo, o primeiro será o páreo um, e assim por diante. Essas informações estão disponíveis no programa de corridas de cada hipódromo, divulgado alguns dias antes da reunião.

Os páreos podem acontecer em pistas de grama ou areia. A maioria dos clássicos do Brasil, no entanto, é realizada sobre a grama. Como existem cavalos treinados para tipos específicos de pistas, essa informação faz diferença para os proprietários na hora de inscrever seus animais.

Quais são os principais tipos de páreo?

Os páreos são classificados, principalmente, entre aqueles considerados comuns e aqueles chamados de clássicos. ​

Nos páreos comuns, a disputa costuma acontecer entre competidores iniciantes ou que estão em preparação para grandes provas. Outro tipo de páreo é o claiming, em que disputam os cavalos que estão à venda.

Nas disputas comuns, que são a maioria, os cavalos devem a ter mesma idade e número de vitórias. Já as corridas clássicas são as competições mais importantes, como as chamadas provas de grupo. O Grupo 1, por exemplo, é considerado aquele com os melhores animais e pode ser comparado à série A do Campeonato Brasileiro de Futebol. Depois, vêm o Grupo 2 e o Grupo 3.

Os páreos clássicos fazem parte de um cronograma oficial organizado pelos hipódromos e acontecem durante todo o ano, de janeiro a dezembro.

Uma característica interessante das competições clássicas é que elas não podem ser canceladas, mesmo em situações em que a maioria dos cavalos seja retirada. Ainda que haja apenas um animal competindo, o páreo precisa acontecer.

Alguns exemplos de competições clássicas são o Grande Prêmio do Hipódromo da Gávea, para animais com, no mínimo, dois anos de idade — em 2018, aconteceu em 12 de maio —, e o Grande Prêmio Oswaldo Aranha, destinado para éguas com mais de três anos, que será realizado em dezembro.

No cronograma da temporada de disputas clássicas, é possível identificar o grupo específico do páreo com uma sigla entre parênteses, que podem ser G1, G2 e G3. Essas diferenças entre os páreos refletem na premiação aos proprietários dos animais: quanto melhor o grupo, maior o prêmio.

Como o G1 é disputado pelos melhores, costuma acontecer em menor número ao longo do ano. Dentro desse grupo, o páreo de 2.400 metros mais importante do país — realizado no Hipódromo da Gávea — é o Grande Prêmio Brasil, seguido do Grande Prêmio Cruzeiro do Sul, o Derby. Todos os anos, o GP Brasil aconteceu em junho, e o Cruzeiro do Sul, em abril.

Qual é a distância percorrida pelos cavalos nos páreos?

A distância percorrida pelos cavalos varia conforme o perfil da corrida e o treino que o animal recebe, já que alguns são treinados para competir em uma determinada distância. Aqueles que disputam os páreos mais curtos, com até 1.000 metros, são chamados de velocistas — ou sprinters, em inglês.

Os que competem até 1.600 metros (que é o equivalente a uma milha) são chamados de milheiros, e os animais mais resistentes, que correm páreos de até 3 mil metros, são fundistas.

No Brasil, as pistas têm, em média, 2.200 metros. Em São Paulo, por exemplo, a pista em grama do Hipódromo de Cidade Jardim mede 2.119 metros.

Nem sempre um páreo exige que os competidores percorram toda a pista. No caso do Grande Prêmio Hipódromo da Gávea, a corrida tem 1.000 metros, enquanto a volta completa na pista tem 2.200 metros.

Quantos cavalos correm nos páreos?

O limite para o número de cavalos deve ser estabelecido pelos hipódromos, de acordo com a largura das pistas. Assim, o número pode variar bastante.

Existem páreos com seis cavalos competindo e aqueles com mais de 20 animais. Além disso, desistências e desclassificações alteram a quantidade final. Se houver cavalos a mais, a Comissão de Corridas deve retirar, a seu critério, os excedentes.

Nas apostas em cavalos, apostadores mais experientes analisam o histórico, a genética e o comportamento do animal no dia da corrida. Além disso, quem aposta no turfe aprende que estudar faz parte da diversão do esporte.

O que influencia nas corridas de cavalo?

Alguns pontos influenciam nos páreos e devem ser devidamente estudados pelos apostadores, já que interferem diretamente no rendimento dos cavalos. Por exemplo, o tipo de corrida e de pista utilizado, como veremos a seguir.

Tipo de corrida

Há algumas divisões de corrida que devem ser levadas em consideração. Elas podem ser divididas, inicialmente, entre galope e trote, como veremos a seguir:

  • galope: modalidade mais comum no Brasil. Nela, os cavalos podem começar a correr a partir da liberação dos boxes, e seu objetivo é chegar em primeiro lugar;
  • galope com obstáculos: tal como a primeira, o animal pode começar a correr a partir da liberação dos boxes. Nela, são testadas habilidades não só de velocidade, mas também de coordenação motora, já que o animal precisa passar pelos obstáculos;
  • trote atrelado: a diferença está na movimentação dos cavalos. Aqui, as pernas que vão à frente são invertidas, formando necessariamente um par diagonal;
  • trote montado: a movimentação ocorre em trote e o jóquei fica sobre o cavalo, dispensando o uso de aparelhos para auxiliá-lo.

A partir disso, podemos ter as divisões entre galope plano (Flat) e galope com obstáculos (Jumping). Na primeira modalidade, a pista está sem qualquer tipo de obstáculo, podendo ocorrer em circuito ou linha reta. Já a Jumping é uma corrida com obstáculos, podendo incluir até mesmo saltos sobre a água.

O trote também pode ser dividido nas modalidades atrelado (jóquei com sulky) e montado (jóquei sobre o cavalo, sem o sulky).

Tipo de pista

As pistas podem ser dos mais diferentes tipos, mas os mais populares são de relva e sintético. O primeiro é feito de material natural e, normalmente, é aplicado em corrida com obstáculos. Já o sintético é mais utilizado em corridas Flat.

Quais são os tipos de apostas realizadas nos páreos?

É importante saber quais são os tipos de aposta que os interessados podem realizar nos páreos, para ter consciência de qual delas é a de maior interesse seu. Veja mais, a seguir.

Vencedor ou ponta

É a modalidade preferida dos turfistas, sendo a mais utilizada e popularizada. Além disso, é bastante simples: o apostador escolhe o cavalo que acredita ser o vencedor daquele páreo e aposta um valor a seu critério. Dependendo da corrida, o prêmio pode ser bastante elevado.

Placê

Para os novatos, esse é o melhor tipo de aposta para pegar confiança, já que é o mais seguro de acertar — porém, consequentemente, o valor a ser pago é menor. O apostador deve escolher um cavalo, e ganhará se ele chegar na primeira ou na segunda colocação.

Dupla

O jogador deverá acertar a ordem de quem chegará em primeiro e segundo lugares. Há duas modalidades dessa aposta, como veremos a seguir.

Dupla simples

A ordem a ser acertada é a dos dois primeiros lugares. O valor é definido pelo apostador e independe da ordem dos cavalos escolhidos. Assim, vamos supor que o turfista escolha os cavalos 1 e 4. Ele ganha tanto se a ordem na linha de chegada for 1 e 4 quanto se for 4 e 1.

Dupla combinada

O turfista, nesse caso, pode escolher dois ou mais cavalos em sua aposta para as primeiras colocações. Por exemplo, 8 ou 3; 4 ou 2.

Exata

Nesse caso, o turfista precisa escolher a ordem exata de chegada dos dois primeiros cavalos. Também possui duas modalidades, como veremos a seguir.

Exata simples

É preciso apostar na ordem de chegada exata dos dois cavalos que vão chegar nas primeiras posições. Só pode escolher um cavalo por posição.

Exata combinada

O apostador pode escolher dois ou mais cavalos para cada colocação, acertando a ordem de chegada exata dos dois primeiros cavalos.

Trifeta

Nessa modalidade, é preciso acertar a ordem de chegada dos três primeiros cavalos. Possui duas formas de apostas internas, como veremos a seguir.

Trifeta simples

É preciso acertar a ordem exata dos três primeiros colocados.

Trifeta combinada

Segue o mesmo modelo de aposta, porém, pode escolher três ou mais cavalos. O apostador ganha o prêmio, nesse caso, se 3 dos 4 cavalos escolhidos estiverem nas três primeiras posições do páreo.

Quadrifeta

Nessa modalidade, o turfista deve acertar a ordem de chegada dos quatro primeiros cavalos. Tal como as anteriores, também possui dois tipos.

Quadrifeta simples

O apostador deve acertar a ordem exata de chegada dos quatro primeiros colocados, e o valor da aposta é segundo o critério de preferência do turfista.

Quadrifeta combinada

O turfista pode escolher quatro ou mais cavalos para apostar em quem chegará nas quatro primeiras colocações. Não é necessário acertar a ordem de chegada.

Betting 5

O turfista deve acertar as duplas dos cinco últimos páreos do dia. Nesse tipo de aposta, há o mínimo de oito combinações a serem apostadas, e pode escolher quantos cavalos quiser para cada páreo.

Caso alguém acerte os cinco páreos, além de receber o movimento líquido do Jockey Club no dia, recebe também uma bonificação, com valor variável. Caso ninguém acerte essa modalidade de aposta, segue-se o critério adotado nas Superpules.

Pick 3

É uma espécie de aposta acumulada no cavalo vencedor de três páreos. É preciso indicar os vencedores do primeiro e segundo páreo, e o turfista indicar o terceiro. O apostador que ganhar a aposta, além de receber os rateios multiplicados, também adquire um bônus de 100%.

Pick 7

Nessa modalidade, o apostador deverá indicar os vencedores dos últimos sete páreos da sessão, e ganhará aquele que acertar o maior número de posições. Pode-se ter mais de uma indicação para cada páreo, por meio de combinações (deve ter, pelo menos, quatro combinações para cada bilhete).

Caso ocorra mais de um vencedor em um páreo que tenha apostas combinadas, cada combinação marcará apenas um ponto. Já no caso de ninguém conseguir os sete acertos, os vencedores serão aqueles que tiverem o maior número de acertos, e a maior soma de rateios entre os apostadores que venceram.

Super Betting

É preciso acertar, exatamente, os vencedores dos três últimos páreos da reunião. Deve ocorrer pelo menos duas combinações para a aposta ser registrada. Porém, o turfista pode escolher quantos cavalos quiser por páreo. Aquele que acertar as três corridas, além do movimento líquido do dia apostado, receberá também um bônus.

Acumuladas

Nessa modalidade, o turfista aposta em dois ou mais cavalos na modalidade Duplas, Placê ou Exatas, formando apostas combinadas. Elas podem indicar um ou mais animais por páreo. Se a primeira indicação ganhar, o valor apostado será aplicado na indicação dos páreos seguintes.

Pistas de grama ou de areia, competições comuns ou clássicas. Neste artigo, você entendeu como tudo isso tem a ver com o que é páreo. Se você está começando a conhecer o universo do turfe agora, vai conseguir acompanhar as transmissões ou assistir a um páreo em um hipódromo sem ficar perdido, não é?

Acompanhe o nosso Facebook e Instagram, e fique por dentro de tudo o que acontece no turfe nacional e internacional!



Compartilhe com seus amigos