Veja quais são as 6 melhores raças de cavalo de corrida

Veja quais são as 6 melhores raças de cavalo de corrida

O cavalo convive com a humanidade há milhares de anos. As inúmeras raças desenvolvidas até hoje se adequam às diversas funções que lhes são atribuídas, algumas se destacando como as melhores raças de cavalo para o esporte ou outra atividade.

Dessa forma, existem aquelas especializadas em trabalho de campo (agrícola, carga, pastoril), montaria militar e esportes, entre outros. Entre esses últimos, estão os cavalos utilizados no turfe.

Dentro dessa diversidade, certas raças são especialmente adequadas para as corridas de cavalos, a paixão de tantos apostadores. Suas características de resistência, agilidade e velocidade as qualificam para esse esporte.

Continue a leitura e conheça seis das melhores raças de cavalo de corrida!

1. Puro-Sangue Inglês

O Puro-Sangue Inglês é o principal cavalo de corrida do mundo e, facilmente, está entre os mais importantes. A raça se destacou no mundo do hipismo em razão da elevada qualidade de suas características e, não sem razão, é dela o cavalo mais caro do mundo.

Historicamente, esses cavalos se desenvolveram como animais de corrida. Mas, são também muito bons e destacados na equitação e na prática da caça montada.

Ao longo dos séculos, desde sua criação em meados dos anos 1700, sua estrutura foi aperfeiçoada para que pudessem ser garantidas todas as qualidades em uma corrida.

Hoje, a seleção dos animais considera a especificidade de sua aplicação, ou seja, se será treinado para corridas curtas ou longas, por exemplo.

Além de muito velozes, os cavalos Puro-Sangue Inglês têm uma personalidade nervosa, capaz de realizar uma explosão no início de uma corrida e manter uma elevada performance. Desse modo, a importância de um jóquei especialmente habilidoso se destaca no controle desse potencial.

2. Quarto de Milha

O cavalo Quarto de Milha foi a primeira raça equina desenvolvida nos Estados Unidos. Surgiu por lá no início dos anos 1600, tendo como origem cavalos da Arábia e da Turquia, cujos garanhões eram cruzados com éguas da Inglaterra.

No Brasil, a raça chegou no ano de 1955 com a importação de 6 animais. Hoje, o país apresenta o segundo maior plantel de Quarto de Milha no mundo, com uma população de mais de 514 mil cavalos registrados.

Essa é uma raça dócil, de fácil doma e muito inteligente. Além disso, uma de suas principais características é a grande versatilidade que apresenta.

São também animais muito velozes, fortes e de excelente manejo para os trabalhos de campo. Sua aptidão o destaca para os diversos esportes equestres.

Para as corridas, no entanto, sua melhor vantagem é nas corridas curtas. Isso porque sua musculatura é própria para explosão de velocidade, mas de curta duração. O seu nome se refere à capacidade de correr velozmente a distância de 400 m (25% ou um quarto de milha).

3. Cavalo Árabe

Existem três raças de cavalos puro-sangue em todo o mundo: Árabe, Inglês e Lusitano. O Cavalo Árabe, no entanto, é considerado a raça mais pura e antiga, da qual evoluíram diversas outras, como o Quarto de Milha, por exemplo.

Além disso, foi uma das primeiras raças domesticadas, com registros de sua utilização há mais de 6 mil anos.

Os grandes responsáveis por sua domesticação e manutenção das melhores características de sua pureza racial foram as tribos beduínas do deserto.

Entre os povos da antiguidade, a raça sempre foi muito cobiçada, em razão de apresentar um extraordinário desempenho como cavalo de guerra. Sua presença fortalecia as tropas que o empregavam. O Cavalo Árabe foi introduzido no Brasil nos anos 1920. Atualmente, existem mais de 32 mil animais registrados no país.

Com seu perfil inconfundível, é um animal de porte médio, porém, muito resistente, forte e com boa musculatura. Ao mesmo tempo em que é rústico e fogoso, é de comportamento dócil e delicado. Além da corrida, a raça tem bom desempenho nas provas de hipismo clássico e rural, de performance e de laço, entre outras.

4. Appaloosa

A raça Appaloosa resultou, inicialmente, da domesticação de cavalos de vida livre, pelos índios Nez Perce, da região do Rio Palouse, nos Estados Unidos da América. Essa região era ocupada por colonos franceses que a ela se referiam como La Palouse.

Processos seletivos conduzidos pelos índios tornaram os cavalos muito ágeis, velozes e resistentes, atraindo a atenção dos colonos. Em razão das guerras, a raça quase foi extinta.

A partir dos anos 1930, uma iniciativa de descendentes dos índios Nez Perce, criadores e rancheiros garantiram a preservação de sua história e o seu desenvolvimento.

A raça foi aprimorada por meio de cruzamentos com o Quarto de Milha, principalmente, mas também com o Puro-Sangue Inglês e o Cavalo Árabe. No Brasil, sua criação teve início na década de 1970. O país conta hoje com cerca de 25 mil animais.

Para as corridas, o Appaloosa vai melhor nas curtas ou de meia distância. A raça também é muito apreciada nas competições de hipismo rural e competições equestres de resistência.

5. Paint Horse

O Paint Horse é uma raça americana, com origem no Quarto de Milha. Atualmente, é o primeiro em comercialização nos Estados Unidos e a procura encontra-se em crescimento vertiginoso, constituindo o terceiro maior criatório naquele país.

A aceitação da raça no país de origem só se deu a partir dos anos 1960. No Brasil, a década de 1990 constitui um marco que, atualmente, se traduz por uma procura maior que a oferta.

O Paint Horse é um cavalo muito forte, ágil e resistente. Assim, além das corridas, tem excelente aptidão para as diversas provas do hipismo rural e para a lida com o gado.

6. Trotador Francês

O cavalo Trotador Francês é uma raça desenvolvida especialmente para a corrida de trote, muito popular na França. Animal resistente e ágil, é também um grande saltador.

Tem origem em sucessivos melhoramentos genéticos a partir das raças Norfolk, Hachney Inglês, Trotador Orlov da Rússia, Puro-Sangue Inglês e, mais recentemente, o Trotador Americano. Oficialmente, a raça foi reconhecida no ano de 1922.

A França é líder mundial em corridas de trote, com mais de 11 mil provas por ano. O esporte por lá tem grande importância na geração de renda e de empregos. Aqui no Brasil, o trote está recebendo forte estímulo, com a participação da PMU Brasil e da LeTrot, associação francesa responsável pelo desenvolvimento da raça.

Com esse breve resumo sobre as seis das melhores raças de cavalo de corrida, você pode perceber que cada raça detém características próprias que indicam sua aptidão. Assim, dependendo da atividade a que será destinado, o cavalo mais indicado seguirá o potencial da raça.

Gostou do conteúdo? Assine nossa newsletter e saiba tudo o que você precisa saber sobre corridas de cavalos!



Compartilhe com seus amigos