Conheça a incrível trajetória do jóquei brasileiro Ricardinho

Conheça a incrível trajetória do jóquei brasileiro Ricardinho

Se outros países têm uma tradição maior no turfe, ao menos o nome de um jóquei brasileiro está marcado na história desse esporte. Com 57 anos de idade e quatro décadas de carreira, Jorge Ricardo tem 12.950 triunfos, o que o torna o maior vencedor de todos os tempos e uma verdadeira lenda das pistas.

Ricardinho tem em seu currículo honrarias importantes, como o título do Grande Prêmio Brasil e do Gran Premio Latino-americano. Com as corridas de cavalos no sangue, travou uma disputa acirrada pelo recorde mundial e persistiu até alcançar o topo — tomou a liderança de vez em 2018.

Neste post, contaremos a história do jóquei mais importante do turfe brasileiro e os seus planos. Confira!

Entenda a origem e como Ricardinho iniciou sua carreira

A trajetória de Ricardinho começou no berço. Seu pai, Antônio Ricardo, foi um grande jóquei na sua geração e venceu o Grande Prêmio Brasil em 1959 com o azarão Duraque. Após a aposentadoria das pistas, virou treinador e ajudou o filho nos seus primeiros passos — faleceu em 2010, aos 75 anos.

Porém, não foi somente a influência da família que definiu o seu futuro no esporte. Com apenas seis anos, ele já demonstrava vontade de seguir a profissão. “Posso afirmar que nasci para ser jóquei, pois o amor e a paixão que tenho pela minha profissão é algo muito forte e muito grande”, explica.

A sua carreira profissional começou aos 15 anos, o que rendeu sacrifícios e escolhas difíceis para o jovem, como abdicar da sua juventude para privilegiar os treinamentos e as competições.

A sua força de vontade também fez a diferença, já que Ricardinho sempre se preocupou em aperfeiçoar a sua técnica ao observar e estudar os melhores competidores.

A primeira vitória veio em 16 de novembro de 1976, com o cavalo Taim. O momento foi especial pela sua pouca idade (apenas 16 anos) e pelo treinamento do pai. A partir do ano seguinte, o jóquei passou a disputar os principais páreos dos hipódromos brasileiros e nunca mais parou.

Saiba quais foram seus maiores desafios no jóquei brasileiro

O início promissor de Ricardinho demonstrou que o seu futuro era brilhante no turfe. Porém, para se apresentar em alto nível, o jóquei precisou abrir mão das baladas com os amigos e se comprometer completamente com a rotina no hipódromo.

A perseverança foi necessária para superar esses desafios quando ainda era adolescente.

Com a sua trajetória consolidada, a grande dificuldade foi se destacar em um país onde o turfe não tem a mesma expressão que em nações como Estados Unidos, França e Inglaterra, entre outras potências. “O turfe é uma indústria e, infelizmente, no Brasil ele não é visto assim”, lamenta.

Nas últimas décadas da sua carreira, Jorge Ricardo definiu como o seu objetivo principal ser o recordista de vitórias no esporte. Esse é um dos motivos que explicam a sua transferência para a Argentina, em 2006. No país vizinho, existem três hipódromos principais que, juntos, oferecem corridas todos os dias da semana.

No Brasil, o Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro, é o principal local das competições, mas no país há poucas opções de corridas — São Paulo, Curitiba e Porto Alegre têm reuniões com menor frequência. Uma grande diferença é que, na Argentina, o esporte recebe apoio governamental para manter um alto nível de competição.

Além disso, precisou superar um câncer no sistema linfático e uma fratura no fêmur, que o afastaram das pistas em 2012 e em 2017. Esses percalços adiaram a sua meta de se consolidar como o grande vencedor do turfe mundial, mas o carioca retornou e não pensou em abandonar a carreira.

Conheça as premiações conquistadas por esse profissional

O grande feito de Ricardinho é o recorde mundial de vitórias, conquistado em fevereiro de 2018. Depois de travar uma acirrada disputa com o canadense Russell Baze, ele igualou o número de 12.844 triunfos em um páreo na Gávea e, dois dias depois, venceu em San Isidro (Argentina) para ultrapassar a marca.

Até o fim de janeiro de 2019, o jóquei somava 12.950 vitórias, o que garante uma distância de 106 para o segundo colocado. Além disso, foi o vencedor das estatísticas no JCB de 1982 a 2006, que incluiu uma temporada de 477 vitórias em 1992/1993.

Após a sua mudança para a Argentina, Ricardinho manteve o sucesso e venceu mais quatro estatísticas até 2012. Mesmo com o nível maior das competições, ele conquistou 450 páreos em 2007 e rapidamente virou um ídolo local com os seus ótimos resultados e presença constante nas pistas.

No Brasil, o jóquei tem vitórias importantes no seu currículo, como o Grande Prêmio Brasil, o Grande Prêmio São Paulo e o Grande Prêmio Bento Gonçalves. Fora do país, precisam ser destacados os seus triunfos no Gran Premio Carlos Pellegrini e no Gran Premio Latinoamericano — dois eventos importantes do turfe sul-americano.

Também coube a ele ser o primeiro jóquei brasileiro a representar o país no Prix de l’Arc de Triomphe, uma das competições mais tradicionais do turfe e disputada na França. Atualmente, o campeão do GP Brasil tem vaga garantida no páreo e Jorge Ricardo pode ser considerado um precursor nessa internacionalização.

Veja quais são seus objetivos e planos para 2019

Não pense que, após alcançar o recorde, Ricardinho está se aposentando. O seu objetivo é ampliar a margem em 2019 para dificultar a tarefa de quem deseja desbancar o seu posto. Com Russell Baze fora de ação, Pablo Falero é o segundo na lista em atividade, mas anunciou a sua retirada para o fim do ano.

Dessa forma, Ricardinho tem a sua permanência no topo garantida por alguns anos. Sua intenção é diminuir o ritmo das corridas nos próximos anos, mas sem estipular uma data para a sua despedida. Os últimos resultados provam que o carioca ainda tem lenha para queimar no esporte.

“A meta desse ano é seguir montando, tranquilo. Com o recorde mundial já assentado, o foco é ir aumentando e ampliando a margem, para tornar difícil que alguém consiga superá-lo. Além disso, ir seguindo na profissão com mais calma até o momento de me retirar”, finaliza o ídolo brasileiro.

A história desse jóquei brasileiro é um grande exemplo para aqueles que desejam ter sucesso nesse esporte. Com grandes vitórias no currículo e um recorde mundial difícil de ser superado, ele colocou o seu nome entre as lendas das corridas de cavalos. E o melhor: está em atividade e pode ser acompanhado pelos fãs nas suas apresentações.

E aí, gostou desse conteúdo? A PMU Brasil tem um cardápio extenso de corridas nacionais e internacionais para você assistir e apostar. Entre em contato conosco e saiba mais!



Compartilhe com seus amigos