Jockey Club Brasileiro: mais do que um local de corridas de cavalo

Jockey Club Brasileiro: mais do que um local de corridas de cavalo

Quando o público mais leigo ouve falar em Jockey Club Brasileiro, as primeiras imagens que vêm à mente da maioria são homens apostadores vestindo traje social juntamente às suas esposas desfilando roupas de grife e usando chapéus glamourosos.

O que muitos não sabem, contudo, é que essa ideia é completamente ultrapassada e fora da realidade atual, já que o Jockey Club se tornou um espaço de eventos e entretenimento em família, onde a diversão (e não os trajes) é o que mais importa.

Confira, neste post, a história do nosso Jockey e como ele vem se tornando um polo diversificado de confraternizações e gastronomia. Vamos lá?

A história do Jockey Club Brasileiro

O Jockey Club Brasileiro foi fundado em 1932, tendo como inspiração um hipódromo famoso na França,  Longchamp. Na época, a cidade do Rio de Janeiro era a capital do Brasil — motivo esse de o hipódromo ter sido batizado como Jockey Club Brasileiro, já que o intuito era que ele se tornasse um grande centro do Brasil.

Hipódromo da Gávea

O Hipódromo da Gávea, que pertence ao Jockey Club Brasileiro, é considerado até hoje uma das mais belas construções arquitetônicas do Rio de Janeiro, tendo sido um marco em design e avanço em técnicas de engenharia.

A arquitetura das arquibancadas tem um estilo rebuscado e elegante, chamado de ecletismo, que era o estilo típico das construções de grandes edifícios no Rio de Janeiro nas primeiras décadas do século XX.

É lá que acontece o Grande Prêmio do Brasil, a corrida hípica mais importante do país desde que foi criada no ano seguinte à inauguração do Jockey, em 1933.

Os famosos (e controversos) trajes

Nas décadas de 30, 40 e 50, era muito comum os brasileiros “imitarem” os costumes europeus de países como França e Inglaterra, diferentemente do que acontece atualmente, já que nos inspiramos no estilo de vida americano.

Por isso, era comum que, em corridas hípicas, os homens fossem vestidos de terno, gravata e cartola, e as mulheres com vestidos de gala e os notáveis chapéus — uma vez que em países como Inglaterra e França esse era o “uniforme” dos apostadores e audiência do turfe.

Mas mesmo que muita gente não tenha percebido, esse costume foi mudando ao longo dos anos e, hoje em dia, nem mesmo o traje de passeio completo aparece como indicação de vestimenta, apenas o traje esporte e casual.

O Jockey Club Brasileiro além das corridas hípicas

É claro que, além das vestimentas, o Jockey Club Brasileiro é mais conhecido pelo público em geral pelas corridas de cavalo e apostas hípicas. Mas existe todo um “universo” que não se limita às corridas, estendendo-se para eventos e confraternizações de todo o tipo.

Isso porque ele é considerado um lugar seguro (tem segurança própria), a entrada é gratuita e está aberto todos os dias, de domingo a domingo. Mesmo que não esteja ocorrendo nenhum evento, é possível entrar no Jockey a qualquer hora do dia e aproveitar toda a sua estrutura, seja para sentar na grama ou para comer em um dos 8 restaurantes disponíveis para o público.

Os espaços para aluguéis de eventos no Jockey

O Jockey Club Brasileiro disponibiliza diversos espaços para a locação de cerimônias, comemorações e confraternização de todos os segmentos, não precisando ser, necessariamente, ligados ao esporte.

Já foram feitos blocos de carnaval, happy hour, confraternizações de empresas de fim de ano e, até mesmo, casamentos no local! Conheça, a seguir, os principais salões e espaços para eventos do Jockey.

Salão nobre

É localizado na Lagoa, o que facilita o acesso de todas as partes da cidade. Tem capacidade para até 500 pessoas e oferece um ambiente climatizado, com acesso controlado, segurança, varanda com vista para o Cristo Redentor e estacionamento.

Tribuna B

Ele fica dentro do Hipódromo da Gávea e sua entrada é feito pela Praça Santos Dumont. Além de também ter vista para o Cristo Redentor, oferece uma maravilhosa visão da pista de corrida.

Tem capacidade para até 400 pessoas, com ambiente climatizado e teto acústico.

Tribuna C

Esse é o salão para eventos de grande porte, já que acomoda até 1.500 pessoas. Possui uma área externa com vista para o Jardim Botânico (com opção de entrada exclusiva por lá), além de uma estrutura multimídia, banheiro e copa próprios e teto acústico.

A parceria entre a PMU e o Jockey

A relação entre o Jockey Club Brasileiro e a PMU teve início em 2015, devido a uma necessidade do Jockey em ter uma empresa operadora que promove e processa as apostas hípicas — já que, até então, elas eram feitas de uma maneira um pouco amadora para a magnitude do Jockey.

A PMU foi a empresa escolhida, pois possui uma vasta experiência de apostas na França e atende a todas as necessidades do clube. A empresa surgiu em 1891, sendo uma organização bastante experiente, que sempre esteve no ramo de corrida de cavalo. Inclusive, foi esse o motivo de a  PMU ter vindo para o Brasil, com o desafio de cuidar das apostas do Jockey Club Brasileiro e também de renovar o público que frequenta o turfe em geral.

A PMU como fonte de notícias sobre o mundo do jóquei brasileiro

A PMU é autoridade em termos de aposta por meio do desenvolvimento de conteúdo específico sobre turfe, já que havia uma carência desse tipo de informação no site do Jockey Club Brasileiro, o JCB.

A partir disso, teve início a elaboração de conteúdos que servem tanto para pessoas que já apostam (como textos que falam sobre o resultado de uma determinada corrida, quem vai correr no próximo fim de semana, quais são os palpites dos nossos comentaristas etc.) quanto posts mais genéricos e para quem está iniciando nesse universo, por exemplo: “para que serve a ferradura do cavalo“, “como começar apostar online“, “como eu leio um bilhete de apostas” e conteúdos nesse estilo.

A empresa se tornou referência nesse tipo de comunicação, além de possuir um programa próprio na televisão chamado “Resenha do Turfe”, transmitido sempre antes das corridas da Gávea. O programa é como se fosse uma mesa redonda de turfe, tendo 40 minutos de duração e fazendo  um “pré-jogo”, como no futebol — desses que passam nos canais de TV convencionais.

Como visto, o Jockey Club Brasileiro é um espaço bastante eclético (fazendo jus à sua arquitetura), servindo tanto como sede para a maior corrida hípica do país, o GP Brasil, quanto como local para eventos dos mais variados estilos e ocasiões.

E então, gostou do artigo? Aproveite a visita e assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!



Compartilhe com seus amigos