Conheça os 6 maiores hipódromos brasileiros

hipódromos brasileiros

O turfe é uma importante modalidade esportiva praticada com cavalos. Consiste em uma corrida realizada em pista geralmente de areia ou grama. Nos principais hipódromos do Brasil e do mundo, esses circuitos têm em média de 2.000 metros de extensão, em formato oval, e entre 300 e 800 metros nas pistas retas.

Além da pista, as instalações apresentam ainda um pavilhão de onde se assistem às corridas e no qual podem ser feitas apostas. De modo geral, são mantidos por Jockeys Clubs que contam com associados, como em qualquer clube esportivo. A diferença é que para entrar nos hipódromos não é preciso ser sócio do clube e, no Brasil, a entrada é gratuita.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Então, continue neste post e conheça os sete principais hipódromos brasileiros. Quem sabe não tem um na sua cidade? Acompanhe e confira as informações!

1. Hipódromo da Gávea, no Rio de Janeiro

O Hipódromo da Gávea é o maior do Brasil. De propriedade do Jockey Club Brasileiro, foi inaugurado no ano de 1926, quando se chamava Hipódromo Brasileiro. Seu maior e mais importante páreo é o Grande Prêmio Brasil, cujo percurso de 2.400 metros na grama constitui a mais tradicional prova do turfe brasileiro desde 1933.

Suas instalações arquitetônicas estão entre as mais belas do início do século XX. Uma visita ao Hipódromo da Gávea constitui um passeio turístico representativo da época, quando se primava pela elegância.

Apresenta duas pistas para as corridas oficiais, sendo uma de grama, com 2.200 metros, e uma de areia, com 2.040 metros de extensão. Em suas pistas foi batido o recorde mundial para os 3.000 metros em pista de grama, mantido até hoje.

Considerado um dos melhores hipódromos do Brasil, dispõe de 3.000 assentos, distribuídos em 5 tribunas e uma capacidade para 80.000 pessoas em eventos. Suas cocheiras abrigam cerca de 1000 cavalos e quase 500 pessoas vivem nas casas das vilas hípicas.

O local conta também com Hospital Veterinário, Escola de Jóqueis, teatro, restaurantes e muito espaço ao ar livre para as famílias. O Hipódromo da Gávea realiza corridas todas as semanas, de sábado a terça-feira.

2. Hipódromo do Tarumã, em Curitiba

O Hipódromo do Tarumã foi inaugurado no ano de 1955, sucedendo o antigo Hipódromo do Guabirotuba. É no Tarumã que se realizam as corridas promovidas pelo Jockey Club do Paraná, o segundo mais antigo do Brasil.

Suas instalações contam com duas pistas de areia. Na principal são realizadas as corridas oficiais e, na outra, de natureza auxiliar, conduzem-se os trabalhos, como exercícios de galope.

As areias do Tarumã são palco do Grande Prêmio Paraná, a principal prova do turfe daquele Estado. Atualmente, são realizadas 2 reuniões por mês, às quintas-feiras. Para receber os apostadores e visitantes, existem três arquibancadas: a social, a popular e a profissional, destinada a jóqueis e treinadores.

As instalações do Hipódromo do Tarumã oferecem três salões para eventos. Para os animais, 59 grupos de cocheiras, com capacidade para abrigar 742 cavalos e éguas.

3. Hipódromo do Cristal, em Porto Alegre

O Hipódromo do Cristal foi construído às margens do Lago Guaíba, sendo inaugurado no ano de 1959. Neste ano, a praça de corridas do Jockey Club do Rio Grande do Sul deixou de ser o antigo Hipódromo Moinho de Vento.

Sua construção foi considerada uma obra-prima da arquitetura brasileira e uruguaia, além de ser tombada pelo Patrimônio Histórico. O Cristal é palco de um marco do turfe brasileiro: o Grande Prêmio Bento Gonçalves. Mas o local realiza corridas todas as sextas-feiras à tarde, a partir das 15 horas.

O hipódromo gaúcho é dotado de duas pistas de areia com 1.928 metros e 1.560 metros. Apresenta três pavilhões onde estão as respectivas arquibancadas: social, popular e profissional. A área do Cristal conta ainda com as instalações do Barra Shopping. A Vila Hípica, por sua vez, abriga hoje cerca de 600 animais.

4. Hipódromo de Cidade Jardim, em São Paulo

O Hipódromo de Cidade Jardim, inaugurado em 1941, é a atual praça de corrida do Jockey Club de São Paulo. Este, por sua vez, foi fundado em 1875, com o nome de Club de Corridas Paulistano e realizava suas corridas no antigo Hipódromo da Moóca.

Para as corridas oficiais, duas pistas estão disponíveis, uma de areia e outra de grama, além de outras duas para os exercícios e treinos. É no Cidade Jardim que se acontece todos os anos o Grande Prêmio São Paulo, com um percurso de 2.400 metros em pista de grama.

O GP São Paulo é considerado uma prévia para o Grande Prêmio Brasil, que acontece no Hipódromo da Gávea, cerca de um mês depois. A programação paulista é semanal, com corridas todos os sábados e domingos à tarde.

O espaço do clube costuma receber shows e eventos diversos, abrigando até 35.000 pessoas. O hipódromo tem capacidade para abrigar cerca de 1.400 animais.

5. Hipódromo da Tablada, em Pelotas

O Hipódromo da Tablada, inaugurado em 1934, é a praça de corridas do Jockey Club de Pelotas, no Rio Grande do Sul, fundado no ano de 1930. O evento de turfe mais importante e tradicional é o Grande Prêmio Princesa do Sul.

A pista de areia do Tablada conta com 1.650 metros de volta fechada, considerada um dos maiores perímetros do interior. Fazendo parte da história da comunidade de Pelotas, suas instalações foram reconhecidas pelo Patrimônio Histórico e Cultural da cidade.

Com o fechamento dos hipódromos das cidades de Rio Grande e de Bagé, o Hipódromo da Tablada tornou-se a última praça de turfe do interior gaúcho.

6. Hipódromo da Madalena, em Recife

O Hipódromo da Madalena também é conhecido como Hipódromo do Prado. Estabelecido no ano de 1859, constitui a praça de corridas de cavalos do Jockey Club de Pernambuco.

Com uma pista de areia fina de 1.609 metros, recebe a prova turfística máxima do Nordeste brasileiro: o Grande Prêmio Bento Magalhães, no mês de outubro, desde sua criação no ano de 1940. Com capacidade para 30.000 pessoas, costuma abrigar megaeventos e shows musicais realizados em Recife.

Em breve: Hipódromo Adelmar Cadar, em Belo Horizonte

Em um grande movimento de incentivo ao retorno do turfe mineiro, o Jockey Club de Minas Gerais está construindo uma nova praça de corridas em Belo Horizonte.

Situado no bairro Esmeraldas, em uma área de 250 mil metros quadrados, o Hipódromo Adelmar Cadar deverá ser concluído em 2019. A nova pista mineira está prevista para ter 1.200 metros, além da pista de treinos. Para os animais, estarão disponíveis 300 cocheiras.

As agências de apostas serão operadas pela Pari Mutuel Urbain (PMU), empresa francesa e maior administradora de apostas hípicas da Europa. Atuando em parceria com o Jockey Club Brasileiro, sua filial brasileira é a conhecida PMU Brasil. Na rede de agências, pela internet ou pelo telefone, é possível apostar regularmente nas corridas realizadas na Gávea, no Tarumã, no Cristal e em Cidade Jardim.

Os hipódromos são para o turfe o que os estádios são para o futebol. Assim, a existência de mais e melhores hipódromos no Brasil é essencial para o esporte.

Gostou deste post? Aproveite o embalo e conheça os principais tipos de apostas em corridas de cavalos. Com certeza este post vai ser muito interessante para você!



Compartilhe com seus amigos