Conheça o Grande Prêmio Arco do Triunfo!

Grande Prêmio Arco do Triunfo

O próximo domingo, dia 7 de outubro, é uma das datas mais importantes do calendário do turfe mundial. Em todo começo desse mês é realizado o Grande Prêmio Arco do Triunfo, a principal prova de galope da França e a mais prestigiada da Europa.

Disputado desde 1920, o seu evento principal distribui milhões de euros em premiação e garante um passaporte para o rol das lendas das corridas de cavalos francesas. A programação começa no sábado, com oito páreos programados e diversas opções de entretenimento no Hipódromo de Longchamp.

Neste post, você conhecerá a história e as informações sobre essa prova tradicional. Confira!

Qual a história do Grande Prêmio Arco do Triunfo?

O Prix de L’Arc de Triomphe é uma das provas mais tradicionais do turfe, além de ser considerada a principal do calendário europeu. Inaugurada em 1920, a competição ocorre no primeiro domingo de outubro, mas outros páreos são disputados durante o final de semana no Hipódromo de Longchamp.

O nome é uma homenagem ao Arco do Triunfo, um dos monumentos mais famosos de Paris. Um ano antes da primeira edição, em 1919, esse local recebeu as comemorações pela vitória dos Aliados na Primeira Guerra Mundial, o que motivou a escolha daquela nova competição de turfe. Ela se juntou ao Grand Prix de Paris em grau de relevância, mas hoje é a maior da França.

A prova só não foi realizada duas vezes na história — nos anos de 1939 e 1940, no auge da Segunda Guerra Mundial. Além disso, em 1943 e 1944, a competição foi transferida para o Hipódromo de Le Tremblay, por conta de obras no local original, e foi disputada em uma distância de 2.300 metros.

A concepção inicial do torneio era servir também como uma vitrine para os PSI franceses. Por isso, os cavalos castrados eram proibidos de participar, uma regra que permanece até os dias atuais. Apesar disso, potros, potrancas e éguas também podem ser inscritos na competição — a atual campeã Enable é uma égua.

O treinador André Fabre é o maior campeão, com sete vitórias. A última delas foi conquistada em 2006, com Rail Link. O jóquei Frankie Dettori tem cinco troféus no currículo — o mais recente com Enable, no ano passado. Por fim, o já falecido Marcel Boussac é o dono com maior número de conquistas (seis).

No total, sete animais venceram duas vezes:

  • Ksar (1921, 1922);
  • Motrico (1930, 1932);
  • Corrida (1936, 1937);
  • Tantieme (1950, 1951);
  • Ribot (1955, 1956);
  • Alleged (1977, 1978);
  • Treve (2013, 2014).

O destaque é que Motrico, em 1932, foi o cavalo mais velho a se sagrar campeão, com 7 anos de idade. Em 2016, Found, treinado por Aidan O’Brien, bateu o recorde da prova, ao cruzar a linha de chegada com 2:23:61.

Confira uma lista dos últimos campeões, com o jóquei e o treinador:

  • 2011 — Danedream (Andrasch Starke e Peter Schiergen);
  • 2012 — Solemia (Olivier Peslier e Carlos Laffon-Parias);
  • 2013 — Treve (Thierry Jarnet e Criquette Head);
  • 2014 — Treve (Thierry Jarnet e Criquette Head);
  • 2015 — Golden Horn (Frankie Dettori e John Gosden);
  • 2016 — Found (Ryan Moore e Aidan O’Brien);
  • 2017 — Enable (Frankie Dettori e John Gosden).

Por que essa competição é importante para o esporte francês?

O Grande Prêmio Arco do Triunfo faz parte do EpiqE Series, um campeonato de 14 provas, dividido em dois circuitos, com notável relevância no galope da França. O torneio está em sua terceira temporada e tem o páreo deste domingo como a sua grande final. Uma soma de pontos em cada prova define a tabela de classificação.

Em termos de calendário do turfe francês, esse evento é, sem dúvidas, o mais importante. Milhares de espectadores de países como Inglaterra, Alemanha e Irlanda, viajam para acompanhar as corridas. Ademais, a transmissão ao vivo atinge mais de 50 países ao redor do mundo.

A internacionalização também está presente entre os cavalos. O campeão de 2016, Found, é irlandês, enquanto Golden Horn, o vencedor de 2015, é uma criação inglesa. Do Oriente, o tríplice coroado japonês Orfevre disputou a prova em duas oportunidades, mas ficou com o vice-campeonato em ambas (2012 e 2013).

Atualmente, a competição é patrocinada pela QREC (Qatar Racing and Equestrian Club), que paga uma das maiores premiações do esporte. Ao todo, são €5 milhões distribuídos no páreo principal e o vencedor leva para casa um cheque de €2,875 milhões, o que equivale a R$12,87 milhões.

O Prix de L’Arc de Triomphe também é um evento muito acessível para o público. Ao contrário de outras competições, os ingressos são relativamente baratos (custam por volta de €15, algo em torno de R$66), e menores de 18 anos não pagam, já que o turfe é um esporte popular na França.

Qual a programação para a edição de 2018?

Nesta edição do Prix de l’Arc de Triomphe serão disputados 16 páreos, espalhados entre os dois dias de competições. O principal é o quarto do domingo (7 de outubro), uma prova de 2.400 metros destinada aos PSI de 3 anos ou mais, realizada na grama. Outras oito corridas fazem parte do Grupo I, o que demonstra a importância do evento.

Depois de uma passagem pelo Hipódromo de Chantilly, a competição volta para o tradicional Hipódromo de Longchamp. O lugar passou por uma reestruturação nos últimos meses e foi reaberto no primeiro semestre deste ano, o que o transformou em um dos clubes mais modernos da Europa.

O Grande Prêmio Arco do Triunfo tem 20 cavalos inscritos para esta edição. Entre eles está Enable, treinada por John Gosden e a atual campeã da prova. Aos quatro anos, essa égua tem retrospecto de oito vitórias em nove corridas e estava entre os favoritos de 2017, vencendo com uma ótima exibição.

Um dos cavalos mais cotados para ganhar a prova em 2018 é o Sea of Class. Treinado por William Haggas, esse garanhão tem quatro vitórias em cinco disputas de galope plano, com destaque para os títulos de Irish Oaks e Yorkshire Oaks, duas competições do grupo principal do turfe inglês.

Além das competições na pista, o fim de semana do Prix de l’Arc de Triomphe também conta com diversas opções de entretenimento, como bares e restaurantes. Com a reforma do hipódromo, o público poderá assistir às corridas com visão de 360º e a tribuna foi inspirada no desenho de um PSI.

É importante conhecer os eventos de turfe realizados fora do Brasil, como o Grande Prêmio Arco do Triunfo, principalmente por serem de mercados em que o esporte é mais popular e atrai uma grande quantidade de público. Além disso, existe a possibilidade de apostar em diversas corridas internacionais pela internet, o que pode garantir uma renda extra no final do mês.

E aí, curtiu as informações do post? Você pode compartilhar este conteúdo nas redes sociais e encontrar outros fãs de turfe espalhados pelo país!

Compartilhe com seus amigos