Como é feito o controle de segurança em corridas de cavalo?

controle de segurança em corridas de cavalo

Uma competição de verdade, que mexe com as nossas emoções em qualquer esporte, precisa ter credibilidade. Afinal, a graça de acompanhar competições como as corridas de cavalo, e até o futebol, são as disputas justas, com regras bem definidas.

No turfe, para assegurar a integridade das competições e garantir a saúde dos animais, existe o Código Nacional de Corridas.

As regras definem, por exemplo, as funções da comissão de corridas, a qualificação dos cavalos e a conduta dos profissionais do turfe, como jóqueis e treinadores, e proprietários.

Neste post, você vai descobrir por que essas práticas de segurança das corridas de cavalo são importantes, quais são os principais procedimentos e como tais práticas ajudam a dar credibilidade às corridas e, consequentemente, às apostas. Confira!

Por que é importante ter procedimentos de controle de segurança em corridas de cavalo?

As corridas de cavalos precisam seguir uma série de regras, que garante a isonomia entre os competidores, o funcionamento correto das apostas e a saúde dos animais. Essas regras definem pontos como o limite do peso corporal do jóquei, o uso de chicotes e ferraduras.

Apenas cavalos com equipamentos de modelos autorizados pelo Código Nacional de Corridas podem competir.

Assim como as corridas, as apostas também são regulamentadas e apenas entidades autorizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento podem captá-las. Nesse caso, não há um código único, mas um regulamento que pode ser emitido por cada hipódromo.

Quais são os principais procedimentos?

O órgão responsável por controlar e fiscalizar o cumprimento do código é a comissão de corridas, formada por, no mínimo, um presidente e quatro comissários. Eles definem, entre outros aspectos, a programação anual da entidade, julgam as corridas e estabelecem normas para o uso das pistas.

Veja alguns procedimentos de controle realizados pelas comissões:

Exame antidoping

A utilização de qualquer medicamento ou substância que possa alterar o desempenho do cavalo é proibida, com base em uma lista de drogas determinada pela Federação Internacional de Autoridades Hípicas. Esses medicamentos precisam ser divulgados pela Comissão de Corridas de cada hipódromo.

A qualquer momento, o órgão de assistência veterinária da corrida pode solicitar o exame antidoping com a coleta de material biológico dos cavalos, ou depois das corridas. No caso dos cavalos vencedores, o exame é obrigatório logo após o páreo.

Se casos de doping forem encontrados, a punição é severa, com multa, desclassificação e suspensão. Em casos de reincidência e acúmulo de três anos em penas de suspensão nos últimos 10 anos, a matrícula do responsável pelo doping é cassada automaticamente.

Atendimento veterinário no local da corrida

Toda corrida de cavalos (com apostas ou não) precisa ter uma equipe de veterinários no local, capaz de tratar qualquer problema que os animais possam ter. Esse órgão de assistência veterinária também é responsável por determinar a retirada dos animais da competição, caso haja alguma anormalidade no seu estado de saúde.

Em alguns hipódromos, há até uma instalação hospitalar. No Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro, o Hospital Veterinário Octavio Dupont é referência em atendimento de equinos no estado.

No Jockey Club de São Paulo, o Departamento de Assistência Veterinária recebe diversos recém-formados para estudar a residência em clínica e cirurgia de equinos.

Acompanhamento de um veterinário especializado

Os bons cavalos de corrida têm um veterinário que os acompanha desde a sua preparação até os momentos antes da largada.

É importante que o treinador e o proprietário tenham esse profissional de confiança para acompanhar o cavalo em caso de necessidade de atendimento pelos médicos da competição e na coleta de material para exames antidoping.

Controle do peso dos jóqueis

Para otimizar o desempenho dos cavalos e evitar que eles desenvolvam problemas de saúde, os jóqueis devem ser leves. Assim, a pesagem é uma das etapas do controle de segurança. Em geral, o peso desses competidores deve ser entre 48 e 65 quilos, dependendo da idade do cavalo e da distância a ser corrida.

Para checar se os jóqueis estão com o peso determinado pela competição, eles são pesados uma hora antes da corrida e depois do páreo. Se houver diferença de peso maior que 500g durante a competição, o jóquei é punido com multa e pode ser desclassificado, em caso de vitória.

Regras de conduta

Durante as competições, os jóqueis devem seguir algumas regras de comportamento. Eles devem conduzir seus cavalos de modo a obter a melhor colocação, mas não podem cortar a frente do outro animal e nem gritar ou utilizar expressões chulas.

Esses são alguns exemplos dos principais pontos regulados pela comissão das corridas, mas essa equipe acompanha a competição do início ao fim. Antes de o resultado ser confirmado, tudo é revisado, já que existem regras específicas para o comportamento dos animais na largada, curvas, retas, chegadas.

No caso das partidas, por exemplo, existe um árbitro responsável por abrir os boxes, autorizar e suspender a partida, entre outras funções. Caso algum animal permaneça indócil por mais de 3 minutos, o árbitro pode retirá-lo da competição.

Durante a chegada, também existe um árbitro responsável por verificar a ordem dos vencedores. Quando há uma diferença nítida, ele costuma decretar o resultado na hora, mas, quando há dúvidas, ele utiliza um equipamento chamado “Photofinish” para checar quem venceu com o auxílio de fotografias.

Por que esses procedimentos dão credibilidade às apostas?

Todos esses procedimentos listados acima e regras bem definidas para o cálculo do prêmio para apostadores e equipes ajudam a dar credibilidade às corridas, e consequentemente, às apostas no Brasil.

Isso acontece quando uma comissão de corridas séria segue o código nacional e faz exames antidoping, confere o peso e os equipamentos utilizados pelos jóqueis, classifica cada animal etc.

As apostas em cavalos fazem sucesso em todo mundo porque são bem reguladas e fiscalizadas, além de não dependerem do fator sorte. A vitória de um cavalo está ligada ao preparo e ao desempenho nas corridas anteriores.

Além disso, vale ressaltar que os animais são classificados por raça, nacionalidade, idade e cor. Qualquer cavalo que não se enquadre entre as quatro raças permitidas, por exemplo, não pode ser registrado.

Depois de ler este post, você já pode fazer suas apostas com tranquilidade! Afinal, você já conhece um pouco mais sobre os procedimentos de segurança nas corridas de cavalos e sabe o que está por trás da organização de uma competição.

Gostou de saber um pouco mais sobre as apostas em cavalos? Deixe um comentário aqui embaixo sobre o que você considera mais importante para segurança e credibilidade das corridas!

Compartilhe com seus amigos