Conheça os 2 principais centros de treinamento de cavalo

Conheça os 2 principais centros de treinamento de cavalo

Você é apaixonado por Turfe? Saiba que a magia de todo espetáculo está pautada em processos que envolvem desde a escolha da infraestrutura adequada ao correto manejo com as grandes estrelas: os cavalos. Para que os protagonistas possam encantar a plateia, é preciso muito preparo. Nesse contexto, entra em ação o centro de treinamento de cavalo.

Em meio a paisagens pitorescas, dotados de estruturas especialmente desenvolvidas para acolher e treinar verdadeiros campeões, os centros de treinamento equestre movimentam milhões anualmente. Para que você conheça um pouco mais sobre essa importante fábrica de estrelas, destacamos dois dos principais centros do Brasil e, como um plus, falaremos um pouco sobre o mercado. Acompanhe a leitura até o fim.

1. Centro de Treinamento de Cavalo Sergio Moraes

Sergio Moraes, idealizador do centro de treinamento que leva seu nome, começou a montar cavalos aos 6 anos de idade. Na fazenda da família, durante a adolescência e início da fase adulta, trabalhou com gado e, sobretudo, com cavalos.

Após uma longa temporada de trabalho nos principais ranchos norte-americanos, certificou-se no programa de treinamento desenvolvido por John & Josh Lyons e desde então passou a ministrar cursos no Brasil e no exterior e a manter o centro de treinamento de cavalos Sergio Moraes.

O centro fica localizado no Município de Araçoiaba da Serra, no estado de São Paulo em uma área de 40 alqueires — com 28 baias, pista coberta para laço, pista oficial iluminada e dispondo de alojamento para alunos — e consiste em um espaço diferenciado para o treinamento de cavalos de corrida de diversas raças.

Toda infraestrutura está projetada para oferecer uma variedade de produtos e serviços pensados para entregar o que há de melhor tanto para o cavalo quanto para o proprietário. Os treinamentos têm programas baseados em técnicas de Horsemanship, a fim de obter um animal calmo e confiável a ponto de poder ser montado tanto pelo treinador quanto pelo proprietário.

A periodização do treinamento leva em conta aspectos fisiológicos e biomecânicos do equino, além das especificidades das provas, como tipo de pista e distância do percurso. Além disso, há uma preocupação com aspectos nutricionais do animal. Tudo isso com um único objetivo que consiste em atingir o pico de performance no exato momento de o animal estrear nas pistas.

Na carteira de serviços, o centro oferece doma natural e treinamento de animais em rédeas e três tambores. No tocante aos cursos, podem ser realizados tanto nas dependências do centro como em outros estados. Acompanhe alguns dos cursos oferecidos:

  • imprinting;
  • doma natural;
  • iniciação de potros;
  • rédeas e horsemanship;
  • três tambores e horsemanship;
  • horsemanship e equitação western;
  • horsemanship para cavalos de vaquejada.

O método de treinamento desenvolvido por John & Josh Lyons parte do pressuposto que o cavalo poderá se assustar com qualquer tipo de estímulo como uma pessoa, por exemplo. Por isso, deverá ser treinado para obedecer aos comandos do montador que atuará no sentido de conter o animal.

Há exercícios que ensinam o cavalo a realizar movimentos mais simples para, gradativamente, realizar movimentos mais complexos. Nesse sentido, o treinador, por exemplo, ensina o animal a mover acessórios como a paleta para os dois lados para, então, ensiná-lo a fazer o spin. A aplicação dessa metodologia agrega vantagens reais que levam a um resultado satisfatório sem comprometer o animal.

A otimização da relação homem/cavalo (horsemanship) se dá por meio do emprego correto e gradativo de estímulos de pressão e alívio. A consequência disso consiste na melhora do desempenho não só no âmbito da performance esportiva, mas também no seu manejo diário.

2. Centro de Treinamento Equestre Extrema – CTEE

Espaço calmo e silencioso, com 42 alqueires de lindas pastagens, matas, rios e lagos, situado a uma distância de 10 km do centro do aconchegante Município de Extrema, no estado de Minas Gerais.

Com uma infraestrutura totalmente desenvolvida para não só proporcionar bem-estar para os animais, mas também construída para facilitar o manejo de forma otimizada e inteligente. Nesse contexto, o CTEE tem a seguinte estrutura:

  • 2 redondéis;
  • 26 baias;
  • 10 piquetes solarium;
  • 1 picadeiro;
  • 1 pista;
  • área de casqueamento, pesagem e ducha;
  • alojamento coletivo;
  • refeitório.

O centro de treinamento surgiu a partir do amor de Walter Roberto Areias Filho pelos cavalos. O idealizador do centro teve sua trajetória completamente voltada à vida rural.

Com uma habilidade nata para entender e encantar equinos, consolidou sua experiência no empreendimento da família. Hoje, dedica-se a domar cavalos por meio das técnicas de não violência e ministra cursos de doma e equitação.

Basicamente, oferece serviços de hospedagem e passeios a cavalo, bem como disponibiliza a estrutura para a realização de diversos eventos. Por meio de uma metodologia de não violência e com a aplicação da técnica de Join-up, oferece os seguintes cursos:

  • ferramento e casqueamento;
  • horsemanship, manejo e controle do cavalo;
  • equipamentos, controle e natureza do cavalo;
  • clínica de equitação.

Plus: conheça o mercado

Nos últimos 10 anos, a indústria do cavalo cresceu aproximadamente 12% ao ano. O faturamento bruto anual em 2015 foi de R$ 16 bilhões de reais. No Brasil, existem 5.787.250 equinos. Desse total, 52% são classificados como cavalo de lida. Ou seja, são empregados nas fazendas de criação de gado. Já os cavalos destinados a atividades competitivas precisam de estruturas específicas.

Esse montante, de pouco mais de 800.000 equinos, fica alojado em diferentes estabelecimentos conforme os objetivos de seus criadores e proprietários. Basicamente, tais estabelecimentos contém a seguinte classificação:

  • haras — destinado preponderantemente para a criação, mas pode realizar serviços de alojamento e treinamento;
  • centro hípico ou equestre — dedicado a manutenção de animais de treinamento, destinados às inúmeras modalidades esportivas;
  • pensionato — estabelecimento exclusivamente para aluguel de cocheiras;
  • rancho — local de treinamento e criação de cavalos das modalidades western, prova de laço, apartação, team penning, dentre outros;
  • centro de treinamento — local em que cavalos são treinados para competições esportivas como o turfe, por exemplo.

Por meio deste post, procuramos destacar o papel determinante do centro de treinamento de cavalo para o destacamento do turfe no cenário nacional.

Para tanto, discorremos sobre os dois principais centros de treinamento do país, descrevendo suas características, idealizadores e métodos utilizados no manejo com os cavalos e, como um plus, discorremos acerca do mercado.

Se você gostou do post, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos sobre e outros assuntos!



Compartilhe com seus amigos