Quer saber quais são os 6 melhores jóqueis do mundo? Veja aqui!

Quer saber quais são os 6 melhores jóqueis do mundo? Veja aqui!

Além de um cavalo muito bem treinado, com excelente genética e todos os investimentos necessários para a formação de um campeão, o sucesso nas corridas também depende da atuação dos jóqueis.

Os atletas precisam lapidar o talento com uma disciplina ímpar, motivação e uma rotina que exige privações mil. Para se destacar no turfe, a trajetória é longa e poucos se transformam nos melhores jóqueis do mundo em um ranking promovido periodicamente pela Federação Internacional de Autoridades de Cavalos de Corridas (IHFA).

Com o objetivo de apresentar alguns destaques da atualidade e também os que cravaram o nome na história, vamos mostrar neste post seis jóqueis que estão entre os tops do mundo, sendo preponderantes na conquista de importantes corridas tanto por aqui quanto no exterior. Confira!

1. Jorge Ricardo, o Ricardinho

Experiente, com 57 anos, o brasileiro Jorge Ricardo, o Ricardinho, é um dos melhores jóqueis do mundo, e tem um grande diferencial: continua ativo em diversos páreos.

Em 2018, o atleta igualou a marca de 12.844 vitórias, até então atingida somente por Russel Baze ao cruzar os 1.300 metros do Hipódromo da Gávea em 1’22”, após um final de semana de 14 páreos, dos quais venceu três. Natural do Rio de Janeiro, Ricardinho é um dos maiores vencedores da história do mundo do turfe. Agora, até o dia da publicação do post, ele soma 12.949 vitórias, ou seja, é o jóquei que mais subiu ao pódio do mundo.

Ricardinho vive na Argentina há mais de dez anos e compete desde 1977, quando começou na modalidade ainda como aprendiz, com apenas 16 anos.

Filho do também jóquei Antônio Ricardo, Ricardinho já foi o recordista com o maior número de vitórias em hipódromos sul-americanos.

No entanto, a maior dádiva foi ter sido o primeiro jóquei do mundo a atingir a marca de dez mil vitórias, em 2008, sendo uma personalidade que merece um imenso respeito no mundo do turfe. Além do esporte, Ricardinho também é apaixonado por futebol e mantém viva a paixão pelo Botafogo, o time do coração do carioca que tem as conquistas dos páreos em seu DNA.

2. Russel Baze

O canadense era o detentor da marca histórica igualada por Ricardinho, em 2018. Agora, é o segundo vitorioso de todos os tempos, com 12.844 páreos, chegando à primeira colocação.

Diferentemente do brasileiro, Baze está aposentado desde 2016, quando deixou as corridas de cavalos, aos 56 anos de idade. Ou seja, Ricardinho tem tudo para se tornar o maior vencedor de todos os tempos.

Sendo um dos melhores jóqueis do mundo, o canadense atuou em milhares de páreos ao longo de 42 anos dedicados ao turfe. Assim como Ricardinho, também começou a praticar o esporte ainda na adolescência, com 16 anos.

Em sua trajetória, Baze correu em 53.578 páreos, vencendo 12.844, um a menos do que Ricardinho. No entanto, já está no hall da fama dos museus nacionais de turfe do Canadá e também dos Estados Unidos. Afinal, o jóquei ficou por 13 anos na liderança do ranking norte-americano, país onde somou premiações milionárias, acumulando quase 200 milhões de dólares.

3. Silvestre de Sousa

Maranhense, Silvestre de Sousa é um brasileiro que está no auge como jóquei, com atuação brilhante na Inglaterra. Ele ganhou o mais importante título do país: o “Stobart Champiom Flat Jockey” por conta do maior número de vitórias na temporada de 2017.

Silvestre ficou 155 vezes na primeira colocação, recebendo o troféu no hipódromo de Ascot, no famoso “British Champion Day”, inclusive com a presença da Rainha Elisabeth II.

Sousa monta também em competições nos Emirados Árabes, na Índia e em vários países europeus. Atleta consolidado, também pode ser considerado como um dos melhores jóqueis do mundo, sustentando uma média de duas vitórias a cada dez páreos que disputa, ou seja, é uma aposta que sempre traz bons resultados.

4. Frankie Dettori

Considerado pela mídia internacional como o melhor jóquei do mundo em atuação nas corridas de cavalos, Lanfranco Frankie Dettori é um italiano de 48 anos que vem sendo aclamado pelos turfistas em razão do seu carisma e grandes vitórias.

Em 2018, ele recebeu, pela segunda vez, o “Longines World’s Best Jockey”, ou seja, o prêmio concedido pela Federação Internacional de Autoridades Hípicas (IFHA) para o melhor jóquei do ano. Trata-se da principal honraria do esporte, comparado à “Bola de Ouro” da Fifa.

A premiação tem como base os resultados das cem provas internacionais do Grupo 1 de maior rating, segundo a qualificação da IFHA. De todas as competições, Dettori venceu oito, duas montando o campeão Enable, no Prix I’Arc de Triomphe e na Breeders’ Cup Turf. A premiação também foi conquistada pelo atleta em 2015.

No entanto, as conquistas mais célebres na carreira do jóquei foram as 60 vezes em que esteve na primeira posição no Festival Royal Ascot. Como é um dos melhores jóqueis do mundo, Dettori conta com títulos em inúmeros países e continua brilhando nos hipódromos por onde monta, sempre com a marca registrada de saltar do dorso do cavalo para comemorar cada vitória.

5. Franck Nivard

O jóquei francês é um grande destaque no trote atrelado e montado, acumulando 2.500 vitórias em sua carreira. Nascido no dia 26 de julho de 1979, o jovem também é treinador, mas o principal mérito é justamente os bons resultados que o colocam entre os melhores do mundo.

Nivard é excelente na condução dos animais e é o atual bicampeão do Grand Prix D’Amérique, conduzindo o grande campeão Bolt Eagle. A história do francês no mundo dos cavalos também começou bem cedo: suas primeiras montarias foram aos sete anos.

De lá para cá, o sucesso foi companheiro inseparável do jóquei. No trote atrelado, por exemplo, foram vencidas 29 corridas do Grupo 1, 72 do Grupo 2 e 19 provas do Grupo 1 do trote atrelado.

6. Jean-Michel Bazire

Sendo um dos melhores jóqueis do mundo no trote atrelado, o francês é um grande vencedor da tradicional Prix d’Amérique, a maior corrida da categoria do planeta, disputada no hipódromo de Paris. Foi ele quem derrotou Nivard e o consagrado cavalo Bolt Eagle na competição de 2018, conduzindo Davidson Du Pont. Aliás, Franck ficou como vice-campeão de 2010 a 2017, graças ao bom desempenho de Jean.

Jean-Michel Bazire está nos páreos desde 1987, mas a carreira profissional começou mesmo em 1990. O jóquei está no Guiness Book em razão de ser o mais jovem piloto a ultrapassar duas mil vitórias somente na França.

Atualmente, Bazire conta com seis mil vitórias e ainda é um jóquei que conseguiu vencer um percalço da vida: voltou às provas após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC), ou seja, é um verdadeiro guerreiro não só nos páreos como nas adversidades humanas. E ainda venceu a edição 2019 do Prix d’Amérique, com a égua Belina Josselyn.

E aí, gostou de conhecer os seis melhores jóqueis do mundo? Quer sempre receber informações interessantes sobre o mundo do turfe? Então, curta a nossa página no Facebook e fique sempre bem atualizado!

Compartilhe com seus amigos